quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

BMF - Intradiario

Isso sim é bruxaria !!!


Clique aqui


Veja a fotografia :

Um comentário:

Bancotario disse...

Não é bruxaria não...

é coisa da Mary Lixo... lá eles tem também uma "fada madrinha" rsss...




Merrill Lynch recomenda venda das ações da BM&F com preço justo em R$ 19,00

Por: Gustavo Kahil
08/01/08 - 13h25
InfoMoney

SÃO PAULO - O banco de investimentos norte-americano Merrill Lynch recomenda a venda das ações ordinárias da BM&F (com um preço justo de R$ 19,00, segundo relatório de início de cobertura publicado nesta terça-feira (8).

A análise de fluxo de caixa descontado aplicada pelo banco implica Preço sobre Lucro de 43,7x em 2008, um prêmio de 34% em relação às outras bolsas de futuros no mundo. Sob os preços atuais, entretanto, a BM&F negocia com múltiplos de 48,9x.

Volume e expectativas
O banco espera um crescimento de 35% ao ano até 2010 para o volume de negócios. Entre os fatores apontados estão os fundamentos macroeconômicos do País, uma provável transição do pregão viva-voz para o eletrônico, novos produtos e incremento das negociações estrangeiras.

Apesar das projeções serem otimistas, para justificar o atual preço das suas ações, a BM&F precisaria entregar um crescimento do volume com uma maior rapidez do que a antecipada e implementar um programa de corte de custos mais agressivo do que o esperado.

Pontos positivos
A posição da BM&F no contexto global com a sétima maior do mundo impressiona, porém, o volume negociado ainda é pequeno e corresponde a apenas 0,6% do total. Ou seja, o potencial é grande, avalia o banco. Além disso, a volatilidade pode ser favorável a bolsa, já que os contratos futuros servem como proteção às empresas.

Outro destaque é o potencial de crescimento do investimento estrangeiro, que pode ser ampliado com parcerias, como a já realizada com a CME Group em outubro do ano passado. Como uma das principais rivais no mercado, a parceria com a CME ainda garante que os contratos da BM&F e vice-versa não sejam oferecidos por ambas.

A mudança do pregão viva-voz para o eletrônico poderá trazer um grande impacto no volume.

Pontos negativos
Do lado menos favorável da bolsa, o banco explicita fatores como uma possível deterioração dos fundamentos econômicos do País e uma redução do apetite por risco dos investidores estrangeiros, o que poderia reduzir sensivelmente o volume e o número de negócios realizados.

O passado de instituição sem fins lucrativos também é apontado como fator negativo uma vez que não há histórico sobre o desempenho financeiro. Além disso, a incerteza quanto à exclusividade da negociação do contrato futuro do Ibovespa, cedida pela Bovespa, que pode ser cancelado a qualquer momento, é um ponto sempre a ser lembrado.

Abertura de capital
Em 30 de novembro do ano passado, a BM&F abriu o seu capital na Bovespa com uma oferta de grandes proporções que arrecadou R$ 5,98 bilhões. Na estréia, as ações chegaram a se valorizar 30%, correspondente à cotação de R$ 26,00.

O preço das ações foi fixado em R$ 20,00, no teto do segundo intervalo estimado pelos coordenadores da oferta, de R$ 18,00 a R$ 20,00. A primeira faixa de preço estimada, de R$ 14,50 a R$ 16,50, foi elevada com base no excesso de demanda constatado na oferta.

Com isso, a BM&F chegou ao posto de segundo maior valor captado por uma IPO (Initial Public Offering) desde a reabertura dos mercados, em 2004. O primeiro posto é ocupado pela Bovespa Holding, cuja oferta rendeu um total de R$ 6,625 bilhões.

Dúvidas ou Sugestões ???

Fique a vontade pra me mandar uma mensagem:
bancotario@hotmail.com