segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Procuram-se culpados...

... é uma pena, que para a grande maioria dos novos adeptos a Renda Variável são atribuidas a outrém, a culpa pelo insucesso na aquisição de determinado ativo.



“ Para a maioria dos investidores, as suas perdas em Bolsa não são resultados de uma má análise ou estratégia pessoal, mas sim reflexo de comportamentos de outros que os prejudicam. Na realidade, isto não é verdade, mas é a convicção da generalidade dos investidores.

“Procuram-se culpados!”, poderia ser este o cartaz que a maioria dos investidores segura nas mãos, depois de um mau negócio no mercado. Tudo serve para justificar, perante os outros e perante eles próprios, essas perdas, fechando os olhos àquilo que verdadeiramente os devia preocupar: os seus erros.

Mas quem são afinal os culpados que os investidores apontam para as suas perdas? Um dos alvos preferenciais são aqueles os pequenos investidores gostam de apelidar de “tubarões”, ou seja, aqueles que movimentam muito dinheiro. Quantas vezes já ouviram acusações de que a acção X caiu porque um “tubarão” a anda a manipular, ou que outro “tubarão” anda a travar a subida da acção Y? Muitas vezes decerto…

Por que é que os pequenos investidores responsabilizam tantas vezes estes “tubarões” pelas suas perdas? Por um lado, porque as teorias da conspiração são, cada vez mais, frequentes em todas as áreas de actividade. Por outro lado, uma vez que a acusação é genérica, é impossível que alguém os contrarie nesse seu pensamento, tornando-se por isso no álibi perfeito para os seus erros.

Outro dos culpados apontados pelos investidores para as suas quedas são os analistas. Quando as análises correm bem, poucos são os que dizem que ganharam por causa disso. Mas quando as análises falham, os investidores apressam-se a responsabilizar os analistas pelas suas perdas.

Os investidores têm que perceber que quando seguem uma opinião de alguém, têm que assumir as responsabilidades por isso. Seguir cegamente alguém, sem que se faça o seu próprio “trabalho de casa”, costuma produzir maus resultados, sobretudo porque limita a evolução de cada investidor, pois se aprende com os seus próprios erros e não com os erros dos outros.

As corretoras são outra das culpadas predilectas dos investidores. Não venderam na altura certa porque o telefone da corretora estava interrompido ou porque o sistema informático estava em baixo são desculpas perfeitas que os investidores apresentam para as suas perdas.

Não nego que muitas vezes isso sucede, mas terá sido a primeira vez? Não estará o investidor a errar ao permanecer cliente de uma corretora onde frequentemente ocorre esse problema? Será que ainda continua fiel àquela corretora por uma questão de inércia ou porque tem melhores preços? Nunca se esqueçam que as comissões nem sempre são o mais importante numa corretora. A fiabilidade dos sistemas e a velocidade na execução das ordens, por vezes fazem os investidores poupar muito mais dinheiro do que as comissões baixas que algumas corretoras anunciam.

Os detentores de posições curtas (“shorts”) são também apontados como culpados para as perdas dos investidores, especialmente por aqueles que apenas negoceiam acções e perdem quando o mercado cai. Os “shorts” são acusados de, com as suas vendas a descoberto, fazerem o mercado cair. Mas todos se esquecem que quando têm que fechar as posições, tem que ir comprar ao mercado, fazendo-o subir. Talvez por isso, os “shorts” continuam a ser quase vistos como demónios especuladores, sem que haja qualquer motivo para isso.

Mas aquilo que considero o cúmulo da desresponsabilização acontece quando os investidores culpam o próprio mercado pelas suas perdas! Apesar de terem perdido bastante dinheiro, continuam a acreditar que eles estavam certos e o mercado é que estava errado. Mas o objectivo de qualquer investidor não é tentar antecipar os movimentos do mercado?

Acreditem que quando um investidor culpa a irracionalidade do mercado está a atingir um estado de autismo preocupante. Neste momento, deixou de querer ver o que se passa à sua volta, centrando a sua preocupação apenas em tentar fugir da assumpção do seu erro.

Finalmente, a última culpada que os investidores apontam para as suas perdas é a sorte. Quantas vezes pronunciaram a célebre frase “Não tenho sorte nenhuma na Bolsa”? É evidente que, como em qualquer outra actividade, a sorte tem um peso importante no sucesso. Mas quando começam a apontá-la frequentemente como responsável pelos maus negócios, é sinal de que provavelmente não é ela a culpada pelo insucesso…

Apresentei-vos aqui aqueles a quem os investidores gostam de passar as responsabilidades pelos seus maus negócios. Acreditem que só no dia em que pararem de apontar o dedo a este ou aquele e assumirem as suas falhas, perceberão onde erraram e estarão a dar passos no sentido da aprendizagem e do sucesso nos mercados. “

Ulisses Pereira


Este texto reflecte apenas uma opinião pessoal e não deve ser considerado como um aconselhamento de investimento. Sempre que o autor do texto detiver acções (ou posições abertas em mercados derivados) que tenham sido objecto de referência no texto, ele fará divulgação desse facto.

Fonte : http://www.caldeiraodeapostas.com

Um comentário:

yamahelio disse...

Gostei do texto. Realmente muito bom. Porém creio que realmente, para que alguns possam ganhar, alguns têm que perder, ou pelo menos ganhar menos. Quando os investidores qualificados querem vender, tem que ter alguém que queira comprar. Quando eles querem comprar, tem que ter alguém que queira vender. Felizmente ou infelizmente creio que seja assim em qualquer economia de mercado. A diversidade é uma regra da natureza e creio que da natureza não possamos fugir, pois somos seres naturais.

Dúvidas ou Sugestões ???

Fique a vontade pra me mandar uma mensagem:
bancotario@hotmail.com